8 de set de 2012

Martha Beck: Quando um Coração Solitário Mata


Aqui no blog já foi comentado sobre casais assassinos e o estrago deixado por eles. Este é mais um destes casos, onde duas pessoas em sintonia maligna unem-se no intento de levar suas fantasias mais perversas ao concreto. Alguns se conhecem pelo acaso, outros - como na história de Martha e Raymond - estavam procurando encontrar. 

Martha era uma mulher insegura com seu peso, oriundo de um problema glandular que também causou-lhe uma puberdade precoce. Durante seu crescimento Martha teria sido abusada sexualmente por seu próprio irmão. Ao contar a sua mãe, esta agrediu-lhe afirmando que a culpa era dela. Depois disto o assunto foi ignorado e ela continuou estudando até formar-se em enfermagem, entretanto, não conseguiu emprego mafacilmente devido ao seu peso. Quando conseguiu foi numa funerária. Mas, não aguentou muito tempo e largou o emprego para ir a Califórnia.

Foi aí que ela conseguiu trabalho num hospital e engajar num comportamento sexual lascivo. De uma destas aventuras acabou engravidando, todavia, o pai não quis assumir a criança. Sem alternativa, ela retornou a sua cidade e inventou a história de que estava casada com um soldado, o qual faleceu em combate. Sua filha nasceu e pouco tempo depois ela retornou a engravidar, desta vez casou-se com um motorista de ônibus chamado Alfred Beck. O casamento não durou e ao ver-se com dois filhos e sem perspectiva, Martha procurou uma resposta escapista em revistas, livros e filmes românticos. Isto tudo até 1947, quando ela colocou um anúncio na sessão "Lonely-Hearts" - Corações Solitários - de um jornal; Este foi respondido por Raymond Fernandez.

No instante que estes dois ingressaram num romance intenso o rumo de suas vidas cruzaram com a de suas vítimas; Martha perdeu o emprego, entregou seus filhos para o Exército da Salvação e passou a aplicar golpes junto com Raymond. Tais golpes consistiam em Martha posar de irmã de Raymond, enquanto este seduzia a vítima e retirava-lhe dinheiro. Beck sempre mostrou-se ciumenta e violenta com a possibilidade de Fernadez engajar numa relação sexual com as vítimas, assim, sempre vigiando de perto.

Aos poucos o temperamento colérico de Beck evidenciou-se, sendo que em 1949 a dupla matou 3 pessoas:  + Janet Fay: A mesma, com 66 anos, ficou noiva de Raymond durante uma das ações da dupla; Contudo, Beck flagrou os dois na cama e deu uma martelada na cabeça dela e depois a estrangulou;
Delphine Dowing e sua filha: O golpe seguinte foi na jovem viúva Delphine, a qual possuía uma filha de 02 anos, esta passou a manter um comportamento agitado que era manejado pela dupla através de comprimidos. Num dia a garotinha de 02 anos caiu num choro descontrolado e Beck irritou-se matando-a afogada numa bacia de água. A vitimização por assassinato foi o destino de Delphine. As duas foram enterradas no porão da casa. Os vizinhos estranharam e denunciaram. Foram presos em 28 de fevereiro de 1949.

O julgamento foi extremamente sensacionalista, especialmente no que tangia ao comportamento sexual do casal. A sentença final foi a execução na cadeira elétrica, a qual ocorreu em 1951.

A história destes assassinos em lua-de-mel teve duas versões cinematográficas, uma de 1969 chamada de The Honeymoon Killers e Lonely Hearts de 2006 - gosto mais da versão antiga -, seguem os trailers: 



My story is a love story. But only those tortured by love can know what I mean [...] Imprisonment in the Death House has only strengthened my feeling for Raymond....


2 comentários:

  1. Maneiríssima a história, embora também seja bem triste. Fiquei sabendo dessa série de postagens hoje e achei bem interessante, vou ler sempre.

    Abraços para todas.

    ResponderExcluir
  2. Impressionante e o curioso é que diversas nuances do perfil psicológico se repete em diferentes psicopatas, como por exemplo o fato de não se enquadrarem, de terem sofrido abusos e o de não conseguirem levar uma vida convencional com emprego estável e relacionamentos duradouros...

    E por falar em psicopatas, já assistiu o filme "A Troca"? Confira a crítica dele lá no Sublime Irrealidade: http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/07/o-segredo-dos-seus-olhos.html

    ResponderExcluir