11 de ago de 2012

A Metamorfose de Buffalo Bill

Imagem retirada DAQUI
Para mim o filme de serial killer a ser batido é, com certeza, O Silêncio dos Inocentes. Adoro cada detalhe de sua construção, seus personagens e o cuidado de mostrar o lado obscuro de forma inteligente. Neste ponto, a atuação dos intérpretes da trama é essencial para se captar todas as magnitudes e nuances envolvidas - Hannibal Lecter que o diga! 

Ao soar o nome das película, logo se pensa na mitológica figura do psiquiatra canibal, contudo, outra persona dá show em suas neuroses e patologias assassinas: Buffalo Bill, interpretado com precisão por Ted Levine. Logo cogitei falar sobre este quando o assunto LGBTT transformou-se na temática semanal. O motivo? Acho que é bem resumido por esta citação do filme:
Look for severe childhood disturbances associated with violence. Our Billy wasn't born a criminal, Clarice. He was made one through years of systematic abuse. Billy hates his own identity, you see, and he thinks that makes him a transsexual. But his pathology is a thousand times more savage and more terrifying. - Hannibal Lecter
Buffalo era um transexual que foi levado aos extremos quando seu desconforto corporal, seguido por anos de abusos, transformaram-se em um ódio por quem ele era. Não se tratava de estar vivendo dentro de uma morfologia corporal errônea, mas sim, de ser toda uma pessoa errada.

Para quem não assistiu ao filme - corra ver - ou não se recorda muito bem, Bill é procurado por estar matando garotas plus size e retirando a pele delas. Seu intento é todo focado na necessidade de, literalmente, costurar uma nova identidade pessoal. Assim como na situação de Norman Bates, fico imaginando o inferno que o trouxe a tamanhas atrocidades. Uma das cenas mais emblemáticas para o deslindar do psicológico de Buffalo é a que segue; Dançando em frente ao espelho percebemos quem ele anseia ser. 


Outro uso belíssimo de metalinguagem artística é o casulo de uma mariposa depositada junto aos corpos. Ali se vê a esperança em fase de mutação, uma metamorfose que lhe foi negada sendo tomada a força.

O filme não mostra qual seria o passado sombrio de Buffalo Bill, entretanto, seus atos desesperados e desequilibrados demonstram uma "fé" maquiavélica de que, se a sociedade não lhe permitiu alcançar o que seu eu interno gritava, os fins justificariam os meios.

Aviso: Falo aqui de uma personagem. De maneira NENHUMA tais análises PESSOAIS refletem o real estado de um transexual. Esta é uma coluna dedicada ao terror visando ao entretenimento tão somente. Ademais, confiram as postagens da semana LGBTT

4 comentários:

  1. Essa questão da transformação também está presente em Dragão Vermelho. Com o personagem do Ralph Fiennes, que quer deixar de ser um patinho feio e se tornar uma entidade, como o dragão.
    Enfim, grande postagem!

    ResponderExcluir
  2. Grande texto Karla. E a atuação de Ted Levine arrebenta como o psicopata... bjs... :)

    ResponderExcluir
  3. O filme Silêncio dos Inocentes foi a razão de querer trabalhar na área forense e assim me tornei psicóloga.

    Parabéns pelo texto!

    Bjos
    Amanda Fernandes
    www.redapplepinups.com

    ResponderExcluir