5 de jul de 2012

TV Cult: As Marias do SBT

Pois é, a Globo lançou uma novela com três Marias - Maria da Penha, Maria do Rosário e Maria Aparecida. As três belas moças são empregadas domésticas e, graças a um vídeo que vira Hit na internet, transformam-se em famosas. Ou seja, são mulheres batalhadoras que por um golpe do destino passam a viver um conto de fadas. Pensei comigo, onde é que eu já vi um plot similar? Foi quando me caiu a ficha e voltei para meado dos anos 90, onde a primeira Maria Mexicana foi trazida ao Brasil pela SBT. Se a Rede Globo tem hoje três delas em uma novela, o canal do Silvio apresentou anos antes três pérolas da teledramaturgia figuradas por Marias sofredoras, todas interpretadas pela linda da Thalía.

Está certo que a abordagem global é repleta de purpurina, breguice proposital e humor, enquanto as da Televisa são melodramas absurdos e kitsch. Contudo, impossível negar as semelhanças entre tais. Quer ver outro ponto de convergência? Todas as protagonistas cantam, senão durante o decorrer da trama, na abertura da novela. É aquela máxima, "na televisão nada se cria, tudo se copia". O crédito fica com a melhor versão de um original esquecido pelo tempo.

Este bafafá todo que fiz ali em cima nada mais é do que a desculpa perfeita para falar, aqui no TV Cult, sobre algumas novelas adoradas - sabe-se lá o porquê - por boa parte da população brazuca - nem vou falar do sucesso no México: A Trilogia das Marias - Maria Mercedes, Marimar e Maria do Bairro. Confesso que, durante anos, este foi um dos meus prazeres culposos mais adorados. Não sei se hoje teria paciência para tanta licença melodramática... Quem sabe?

Vou falar um pouquinho de cada trama, escolhi a ordem cronológica de exibições:

Imagem retirada DAQUIConfira a Abertura da Novela abaixo e sinopse na sequência: 

Apresentada pela SBT em 1996, contava a história de uma menina abandonada, juntamente com seus irmãos, pela mãe. Além disto, seu pai era alcoólatra, o que forçou que ela e seus outros irmãos fossem trabalhar nas ruas. Certo dia ela esbarra em Santiago, um rico homem que detesta Malvina (sua irmã) e está muito doente. Então, como vingança pessoal contra tal convence Maria Mercedes a se casar com ele. Com a morte de Santiago, Maria passa a ser a provedora da família, o que enfurece Malvina. Esta bola um plano de casar seu filho Jorge Luís com a iludida da Maria para conseguir o dinheiro de volta. Aí a trama fica mais óbvia ainda, no início ele detesta ela, depois vai se afeiçoando e assim por diante.
Curiosidades: Esta novela é uma refilmagem de Rina, que por sua vez é baseada em uma radio novela chamada Enamorada. Li que agora em julho a SBT voltará a exibir Maria Mercedes. 

Imagem retirada DAQUIConfira a Abertura da Novela abaixo e sinopse na sequência: 

A trama aqui é mais vingativa - toda vez que vejo a Nina de Avenida Brasil lembro da Marimar, as duas meninas que juraram vendetta aos que lhe causaram mal no passado - trazendo a história da humilde pescadora Marimar, que vive com seus avós e acaba se envolvendo com o jovem rico Sérgio. Este ilude a moça, já que o único interesse que possuía na pobre era irritar sua madrasta, convencendo ela a aceitá-lo em casamento. Após casada Marimar enfrente as maiores humilhações sob aquele teto: Angélia - a madrasta - trata ela como empregada, faz passar por situações constrangedoras e, inclusive, manda por fogo na choupana onde os avós dela moravam, matando-os; Sérgio não deixa por menos, vivendo como solteiro e chegando a bater nela. O golpe final vem quando ela é acusada de furto e acaba presa. Marimar depois que sai da prisão encontra Gustavo que a ajuda a se tornar uma mulher poderosa na sociedade e assume a identidade de Bella Aldama, neste ponto inicia suas investidas para vingar-se. Ufa! 
Curiosidade: Trata-se de uma adaptação da novela La Indomable (1974) de Inés Rodena.

Imagem retirada DAQUI; Confira a Abertura da Novela abaixo e sinopse na sequência: 
A última da trilogia, conta a história de uma garota vivaz que mora com sua madrinha em um bairro muito pobre. Ela é catadora de lixo - e a Avenida Brasil achando-se pioneira por falar de lixão... tsc...tsc...tsc. Repentinamente a madrinha da moça falece e Padre Honório arranja moradia para moça na casa do milionário Fernando de la Vega. Aos poucos ela vai conquistando todos da casa, inclusive Luis Fernando - o lindo e "putão" do Fernando Colunga -, o qual acaba se apaixonando pela Maria do Bairro. A novela passa-se em duas fases, antes e depois do casamento de Maria. Sendo que na segunda parte o melodrama vem pesado, com alcoolismo, ciúmes, separação, desaparecimento, ressurgimento, perda de memória, incêndio... Tudo de mais clichê e absurdo! 
Curiosidades: María la del Barrio foi exibida em mais de 70 países, sendo uma das telenovelas que alcançou maior internacionalização e um dos programas mais vistos da história da televisão. Está sendo reapresentada atualmente no México pela sua emissora original desde 11 de junho e, no Brasil, desde 6 de fevereiro, pelo SBT.

Sobre a Thalía conferi uma matéria (Yahoo) que revela um pouco dos sofrimentos pessoais dela. Era tanta coisa junta que entendi o motivo da bela fazer tanto sucesso no papel de mocinha sofredora: Após a morte do pai dela passou um ano em mudez seletiva, devido ao choque; Pouco depois de seu casamento suas irmãs foram sequestradas e mantidas como refém por duas semanas; Tornado-se recentemente mãe, Thalía foi picada por um carrapato e quase morreu por estar com a Doença de Lyme em estágio tardio.

Fale o que se fale, estas novelas e seu estilo de folhetim-romance-de-segunda marcaram o cenário televiso dos anos 90 e o meu imaginário impressionável infanto-juvenil. É kitsch, é cult!

6 comentários:

  1. Marias são maaara! Sempre vou lembrar da nossa infancia com essas novelas...meu sooonho era ser igual a Thalia...(ainda é) UDHSAUHDASUHDSUIAH adorei o post...boa ligação de pensamento comparando as marias...

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, kk eu queria ser cantora porque achava lindo Thalia cantar e queria ser como ela! rs essas novelas fizeram parte de minha infância...Nossa eu gostava e fazia sucesso.

    Muito legal sua matéria ^^
    Abraços e beijo

    ResponderExcluir
  3. Ninguém assiste novela pra ver a realidade, o que é real ta aí todo dia na nossa cara. A gente quer o sonho, a fantasia, a mocinha que vira bandida por causa da vida e no fim tudo dá certo porque ela tem bom coração.
    E olha, Maria do Bairro é um ícone, que atire a primeira pedra quem nunca se pegou com a musiquinha tema na cabeça de vez em quando hahaha

    ResponderExcluir
  4. Karen
    Obrigada! ;DCapaz que eu is esquecer do tempo em que ficávamos na caso do vô assistindo Marimar (Au!)hehhehehe A Thalía é lindíssima mesmo.. que cintura pai do céu!

    Aline
    Fazia sucesso mesmo! Quem não queria ser igual a ela, não é verdade? Eu e uma amiga fazíamos imitações dela durante o intervalo das aulas (VERGONHA ALHEIA DETECTADA! heheheh) ;D

    Máyra
    Verdade... Novela é um total escapismo. Desde que fiz o post eu não paro de cantarolar a música de abertura da Maria do Bairro!! hehehehhe GRUDA!


    Muito Obrigada a todas que comentaram!
    ;D

    ResponderExcluir
  5. Nuss... Minha madrinha que é fissurada em Maria do Bairro... Confesso que não gosto nem um pouco dessas novelas, mas respeito quem gosta e também entendo o sucesso delas. xD agora vou dar risada quando ouvir "mais uma produção original Globo Produções"

    ResponderExcluir
  6. Anime GG:
    hehehe... No universo da TV há pouco espaço para originalidade...

    ;D

    ResponderExcluir