26 de mai de 2012

Perfis de Mulher: Greta Garbo

Dona de uma beleza que lhe valeu a alcunha de “divina”, esta misteriosa e hipnotizante atriz sueca foi imortalizada pela frase que proferiu em “Grande Hotel”, ganhador do Oscar de Melhor Filme em 1932: “Eu quero ficar sozinha”. Sua vida depois do estrelato de fato refletiu o desejo de sua personagem. Aposentada aos 36, reclusa por quase meio século, não é por isso que Greta Garbo tem uma trajetória de vida menos fascinante.

Nascida Greta Lovisa Gustafsson em 18 de setembro de 1905, filha mais nova de três. Seu pai faleceu quando ela tinha catorze anos e Greta se viu obrigada a parar de estudar e trabalhar numa barbearia. Seria num outro trabalho, em uma loja, que ela seria colocada pela primeira vez em frente às câmeras. Aos 16 anos, ainda sem muita beleza, Greta fez pequenos filmes publicitários e se apaixonou pela arte de representar. Um ano depois já era a protagonista do filme “Pedro, o vagabundo” e estudava na Academia Real de Arte Dramática da Suécia.

Sua primeira experiência internacional se deu na Alemanha em 1924, onde conheceu seu mentor Mauritz Stiller. O filme que fizeram juntos, “A saga de Gosta-Berling”, chamou a atenção de Louis B. Mayer, que imediatamente a chamou para ir a Hollywood. Lá ela recebeu tratamento de primeira classe, foi completamente repaginada e glamourizada, tornando-se uma das maiores e mais desejadas estrelas do cinema mudo.

Talvez tenha sido Garbo a estrela que com maior facilidade passou do cinema mudo para o falado, embora a MGM tenha adiado essa mudança o máximo que pôde. De fato, Greta continuou com o mesmo sucesso depois da chegada do som, mas, graças à sua voz profunda, acabou estereotipada, passando a fazer papéis de mulheres nobres e elegantes, nunca uma moça do povo.

Com John Gilbert, em 1934
Sua frieza na tela se refletia na vida pessoal: Garbo nunca se casou, embora tenha marcado a cerimônia em 1927, com John Gilbert, seu constante parceiro nos filmes. No dia combinado, ela não apareceu. Muitas especulações surgiram, mas quaisquer outros romances da diva não duraram. Há até quem fale em casos homossexuais com as estrelas Marlene Dietrich e Louise Brooks.

A seriedade nos filmes foi finalmente quebrada em 1939, com a genial comédia “Ninotchcka”, promovida para o púbico com o slogan “Garbo ri!”. Mas não por muito tempo: sua próxima comédia, “A mulher de duas caras”, foi um grande fracasso. Apelidada de veneno de bilheteria desde 1938, Greta saiu de vez dos holofotes e nunca mais fez um filme.


Muito à frente de seu tempo, Greta queria mais do que os estúdios lhe ofereciam. Tinha consciência de seus traços andróginos e por muitas vezes desejou fazer papéis masculinos, como Hamlet. Um papel tão arriscado e marcante não lhe foi permitido, mas certamente lhe daria o Oscar, prêmio ao qual concorreu quatro vezes.

Não pensem que ela ficou trancada em casa pelo resto da vida: embora avessa à imprensa, Greta manteve um círculo de amizades, fez várias viagens (inclusive ao túmulo de Napoleão, figura que ela admirava) e tornou-se colecionadora de obras de arte.

Atenção, cinéfilas! Quem não amaria ter uma boneca da Greta Garbo? 
Mesmo após sua aposentadoria e sua morte, em 1990, Greta continuou sendo fonte de inspiração. Seu nome é citado em diversas músicas, entre elas o hit Vogue, de Madonna. Vários sapatos, roupas, jóias, perfumes e flores foram batizados com o nome dela, por se basearem em sua elegância. E não pensem que parou por aí: coisas mais esdrúxulas carregam o nome dela, a exemplo de barcos, bares, ruas, discotecas, omeletes, vinhos, mostarda e comida de gato. Enfim, como todo ícone, Garbo continua presente no imaginário popular e prova disso é a quantidade de gente que ela ainda mobiliza, pessoas que se dedicam a homenageá-la de diversas formas, seja desenvolvendo um produto, um selo, uma moeda, uma boneca, ou mesmo escrevendo e lendo sobre ela.

DICA: Quem quiser muitas outras informações sobre esta deusa da sétima arte pode acessar GarboForever.

"Há muitas coisas no seu coração que você nunca pode contar para as outras pessoas. Elas são você, suas alegrias e tristezas, e você nunca pode contá-las. Você barateia seu íntimo quando as conta."
Greta Garbo  

3 comentários:

  1. Letícia! Que Ótimo poder ter acesso a um texto como esse que fala de um Ícone tão reconhecido. De fato, não sabia nada sobre a vida de Greta Garbo e esse foi um resumo fácil, mas muito bem escrito de se ler.

    Não fazia ideia de como havia se dado a trajetória dela! Muito bom! continue nos dando informações valiosas como estas!

    Grande Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Garbo é tão poderosa que para mim já é um verbo...
    "Hoje Acordei Infinitamente Garbo" - http://nascidaemversos.blogspot.com.br/2011/01/hoje-acordei-infinitamente-greta-garbo.html

    Linda como ela só e cheia de atitude.. Raras mulheres tem o poder que ela representou na época... Maravilhosooo demais este post!

    Ah.. EU PRECISO DAQUELA BONECA!!!

    ;D

    ResponderExcluir
  3. Caramba... essa mulher é sinônimo de beleza e elegância!

    Excelente postagem, Lê!!! Adorei...

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir