27 de mai de 2012

Marcha das Vadias divide opiniões

Depois da Marcha Contra Corrupção, Marcha da Liberdade, Marcha da liberação da Maconha, Marcha pra Jesus, agora é a vez da Marcha das Vadias, que só pelo nome já gera polêmica, afinal por que tantas marchas? existe algum fundo social ou de mudança nessas marchas, o objetivo de todas não seria o mesmo? LIBERDADE!

esta ocorrendo por todo o Brasil a segunda edição da Marcha das Vadias ou Marcha das Vagabundas, realizadas neste sábado 26/05 em 15 capitais, entre elas: São Paulo, Rio de Janeiro,  Porto Alegre , Florianópolis, Recife, Belo Horizonte e Brasília.

Em outras capitais do Pais a marcha de cunho feminista, ("a Marcha das Vadias não nasce como uma iniciativa do movimento feminista, mas suas propostas tem raízes no feminismo") ocorre nos próximas dias como: Belém (hoje, 27 de maio), João Pessoa dia 9 de junho e Macapá em 2 de junho.

Será realizado ao todo 22 manifestações pelo país, o dobro de Marchas realizadas ano passado que foram apenas 10, o que demostra aceitação das massas brasileiras.

Para falar da Marcha das Vadias (slutwalk), começo com seu contexto histórico, a primeira marcha ocorreu  em 3 de abril de 2011,  em Toronto no Canadá depois da ocorrência de diversos casos de abuso sexual em mulheres na Universidade de Toronto.

O policial Michael Sanguinetti fez uma observação para que "as mulheres evitassem se vestirem como putas (roupas vulgares seria o melhor termo), para não serem vítimas de abuso" o que gerou uma revolta nas mulheres, pois em pleno ano de 2011, uma mulher não pode vestir-se como quer, por medo de ser provocante e sensual e isso lhe causar consequências desastrosas.

O primeiro protesto levou 3000 pessoas às ruas de Toronto.

As mulheres durante a marcha usam roupas provocantes: como blusinhas transparentes, lingerie, saias, salto alto ou apenas o sutiã,  e mesmo com súbito crescimento, a marcha tornou-se um movimento internacional realizado por diversas pessoas (tanto mulheres, como homens e gays) em todo o mundo.

Existe dois lados, os contra a Marcha e os a favor mostrarei os dois argumentos, primeiro os pró:

+ A Marcha das Vadias tem como bandeira o anti-machismo e sexicismo, contra a crença de que as mulheres que são vítimas de estupro pediram isso devido as suas vestimentas. Marcha trata de liberdade em vários sentidos, inclusive estética; assim, quem for a marcha pode vestir-se da maneira que quiser, não existe um padrão, vai vulgar quem quer, é opcional.Tem também como objetivo mudar a visão patriarcal de sociedade onde até mulheres são machista, situação que só cresce com a vinculação da mulher a bunda, e ridicularização em letras de musica como o funk e axé.


Contras da Marcha:

+ O Nome da Marcha tem seu sentido um tanto questionável, Marcha das Vadias, ao mesmo  tempo que satiriza também desmoraliza a Marcha e seus participantes, será que o nome não descarateriza o real motivo das mulheres estarem indo as ruas lutar por mais respeito, por que puta, vadia é algo que perdura na mente da sociedade tão machista como algo muito ruim, e se as mulheres querem respeito usar o nome puta talvez piorasse. A Marcha ganhou o  mundo rapidamente e o gosto popular, talvez por ser tido como "cool" para as jovens, mas ao mesmo tempo é uma luta sem muito conteúdo e um tanto confusa, outros dizem que não passa de mais uma da burguesia.

Camille Paglia, uma das mulheres feminista ainda na ativa, disse em texto para a imprensa britânica, em 2011:"Não chame a si mesmo de vagabunda, a menos que você esteja preparada para viver e defender-se como uma(...) o sexo é uma força da natureza, e não apenas uma construção social. (…) Meninas superprotegidas de classe média  têm uma visão perigosamente ingênua do mundo. Elas não conseguem ver a animalidade e primitivismo do sexo, historicamente controlada pelas tradições da religião e da moralidade, agora firmemente dissolvendo-se no Ocidente. A revolução sexual vencida pela minha geração anos 1960 é uma faca de dois gumes.”


Acredito que entre prós e contras, quem foi ou vai a marcha deve ter suas convicções de ir por uma causa e não para possar de "cool" afinal o que a marcha busca é mais respeito e melhoras para a mulher.

"O feminismo, como todo movimento social, é mutável. Porque seu objetivo é modificar estruturas sociais, mas isso não é garantia de um mundo perfeito. Viver em sociedade é uma luta diária e individual, mas precisamos sempre reforçar a coletividade", a Marcha acima de tudo tem a  função social de trazer debates de temas ignorados , por serem tidos como sem importância, e as vezes por isso deixados de lado, eu particularmente, não gosto do nome e nem de algumas situações que acontece na marcha, vejo pessoas que vão apenas para posarem de "feministas na luta" e outros que estão lá por quererem sim melhoras na situação da mulher,  cada um tem sua visão e vai por seus motivos e protesta do seu jeito, tem os que vão por futilidade e os que não é decisão pessoal.


Fontes:
http://epimenta.wordpress.comwww.blogueirasfeministas.com
.

6 comentários:

  1. Na minha opinião isso difame a imagem da mulher,pois se auto chamar de vadia,puta ofende elas mesmas!

    Acesse meu blog
    http://naomedigaabsurdos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A complexidade deste tema é muito maior, sendo que,atualmente novelas, músicas dentre outros passam esta visão que deteriora o discurso de gênero mulher. Nas novelas mostram as "periguetes, marias - chuteiras, mulheres da vida, etc." Nas músicas como o Funk:as "N" expressões são cantadas, que levaria minutos para escrevê-las parte delas aqui. Tive a oportunidade de conversar com uma Jovem amiga que participa de vários atos na cidade e falamos um pouco do que pode ser o ponto chave onde isso começa, logicamente, que começou com as sociedades conservadoras detentoras de princípios machistas. Mas outro ponto que dialoguei com ela foi, da infância, onde, as próprias mães (mulheres)transformam seus filhos em crianças machistas. Frases como: tu não é homem? Te fiz homem! Tu é gay moleque? e várias outras... Ou seja, a educação das crianças faz o diferencial quando adulto neste contexto, de machismo. No Nordeste são as chamadas raparigas. Ora! mas rapariga não é o feminino de rapaz? Neste sentido, os julgamentos começam a surgir. Basta colocar 5 mulheres com 5 vestimentas diferentes desde a sainha curta até o vestido "Geise Arruda" e perguntar para as crianças sobre o que elas acham daquilo. Logicamente algumas respostas imaginamos que serão ditas de cunho machista, mas é culpa da criança? Não,é culpa da falta de instrução por parte dos pais. Como diz meu sobrinho de 5 anos... "essas perguetes".. Enfim, temos que observar as variáveis que estão inseridas no contexto machista-feminista, levando em consideração a educação infatil, principalmente dentro da própria casa. Meu sobrinho disse que a novela é: Cheia de Charme!E nós importadores de cultura, importamos mais uma. Acredito que os olhares preconceituosos vão fazer a cena desta marcha, haja visto, que as pessoas mesmo nesta sociedade contemporânea , ainda não aprenderam buscar saber o por que de determinados atos de protesto. Há mulheres que vão dizer: - que bando de vadias! Há homens que vão dizer: - Olha aquela gostosa ali. As taxações sempre vão existir. A marcha como forma de protesto é bem vinda mas acredito que existam outras maneiras de protestar em relação ao machismo, e, uma delas, é a educação e esta começa dentro do seu lar!

    ResponderExcluir
  3. Esse "movimento" onde se intitulam como vadias e defendem a ideia de que TAMBÉM GOZAM (como li escrito em vários cartazes delas) é totalmente extremista. O fato de querer mais independência (como se a mulher de hoje já não tivesse), não se resume a sair mostrando os seios e se vestindo como prostitutas de esquina. Tem algo muito sujo aí, desculpe pelo desabafo.

    Eu já escrevi sobre isso, há praticamente UM ANO atrás:

    http://vemaquinomeublog.blogspot.com.br/2011/06/marcha-das-vagabundas-de-quem.html

    ResponderExcluir
  4. Toda ação gera uma reação, assim como a #MarchaDasVadias ao meu ver essa é a reação de algumas mulheres em favor de milhões, não, bilhões, melhor, zilhões de mulheres idosas, maduras, jovens e ainda crianças, até bebês do sexo feminino que sofrem agressão sexual, estupro, violência doméstica, são vendidas em mercados negros, são apedrejadas no Oriente Médio e sabe-se-lá mais o que lhes acontece pelo mundo afora, não importando se essas mulheres são cristãs, pagãs, muçulmanas, budistas, hindus e etc, a grande maioria sofre sem poder reclamar, eu não vejo essa marcha como insulto a ninguém, nem aos cristão nem as mulheres ditas mulheres de "respeito", pois a subjetividade é parte importante na contextualização desse tipo de manifestação, e eu acredito que nem Deus, Jesus, Buda, Maomé, Jeová, Alan Kardec, Chico Xavier e outros pensadores veriam com "maus olhos" esse tipo de manifestação, eu tbm acredito no AMOR de Jesus por Todos, incluídos as vadias, o que precisamos absorver dessa marcha é o fato dela ser um grito dos excluídos, infelizmente a grande maioria que reclama ou fala algo sobre o assunto não é excluído da sociedade, então parece natural falar q é futilidade e etc, enfim, eu vejo essa marcha como fator preponderante para q TODOS pensem na importância de respeitar o próximo enquanto ser vivo e SER HUMANO. Valorizando cada ser humano como pessoa e não como objeto, valorizando a vida, a liberdade, enfim, respeitando a MULHER enquanto ser HUMANO.

    ResponderExcluir
  5. A Marcha das vadias me fez abri os olhos para algumas situações gritantes que eu fingia não ver. Creio que houve um acomodamento da classe feminina talvez o fato de termos uma mulher no poder a frente da republica e sermos agora aparadas pela lei Maria da Penha. Demos aquela passada na zona de conforto achando que não há mais porque lutar e questionar. A lei Maria da Penha é uma boa iniciativa mais é triste saber que temos que tê-la para poder termos respeito e segurança. Se algum homem parou de agredir, violentar mulheres é por medo da lei e não por amor ao próximo, não deveríamos ter essa preocupação de violência domestica violência sexual em plena civilização os homens das cavernas que arrastavam suas mulheres no chão e isso era cultura deles. Outro assunto que está pulando em minha cabeça e ainda não tem uma opinião formada, pois são muitos argumentos a favor e contra e a pausa do ventre livre, direito sobre seu corpo, aborto. Nunca parei pra pensar nisso e hoje me pego lendo todas as informações dos dois lados para ver se chago a alguma opinião mais uma opinião racional não religiosa.
    O nome Marcha das Vadias é realmente forte mais foi esse nome que chamou minha atenção, infelizmente são coisas polemicas que chamam a atenção se fosse à marcha feminista acho que não abriria o post e deixaria passar a oportunidade de abri os olhos para esses problemas. Acredito que o nome é questão de entendimento individual, pra mim é um nome que chama atenção faz pesquisar como pesquisei em diversos blogs e grupos no face.
    Vivo dizendo essa frase para minhas colegas de trabalhos irmãs e mãe: “Lutamos por direitos iguais. E hoje trabalhamos mais, estudamos, votamos e cuidamos da casa, do filho, do marido, só aumentou as funções da mulher. Isso seria liberdade ou escravismo?”.
    E como sempre Josi ótimo texto parabéns...

    ResponderExcluir
  6. A marcha só tem valor se vivida por seus objetivos. Marchar para ser "cool" soa tão mesquinho que desmoraliza. Não acho que a denominação seja o problema, mas sim a postura de certas pessoas - Muito bem citada a Camille Paglia!!! A marcha não deveria ser usada como meio de bancar "livre, leve, solta" sem perceber que a sexualidade deve ir muito além da objetificação da mulher.

    Agora, que comentário mais ignorante daquele policial... Onde é que já se viu dizer que uma mulher tem sua parcela de culpa por se vestir de forma provocante.... Absurdo!

    Ótimo post!


    ;D

    ResponderExcluir