5 de dez de 2012

Comprar ou não comprar, eis a questão!

Oioioioi, blogosféricos leitores do Antes que ordinárias! Final de ano chegando e a correria já está [quase] no ápice, então, pensei em publicar aqui um texto que escrevi para meu blog, Umas e outras, ao final do ano passado e em minha opinião, bastante pertinente para o momento em que estamos... Fiz algumas adaptações para se encaixarem melhor no ano atual.
Estamos em épocas de festas, comemorações e planos para o novo ano que está por vir. Mas, já? Nóóóóóóóóóóó... É, honey, final de 2012 já está mais perto do que imaginamos. Mais alguns pulinhos e alcançaremos 2013. E o fim do mundo? Acho que ficará para uma próxima (ou não?). hehehe Não, não iremos falar disso, agora. Falaremos um pouquinho sobre compras... alguns olhinhos brilharam, que eu sei! *-*
É o seguinte, confesso que shopping lotado me dá urticárias! Caramba!!! As pessoas realmente gostam de gastar. A corrida, por conta das festas de final de ano já começou!! Eu não vou ficar dando uma de “boa moça” dizendo que não gosto de comprar. Gosto! Principalmente quando são meus filmes e livros... 
A questão é que o "bonde sem freio" das compras de final de ano já está desgovernado. Presentes, presentes, presentes... consumo, consumo, consumo. Eu tbem adoro presentear! Ok? Mas, não iremos falar de compras de natal, nem a respeito dessa data festiva. Ok, Papai Noel?
Vamos falar um pouco a respeito desse consumismo desenfreado. (redundante, eu sei!)
Vi uma reportagem, ano passado, não me lembro onde(canal fechado), de uma moça relatando seu comportamento durante essa época de final de ano. Ela disse que sempre se perde no meio das compras de presentes, pois acaba comprando para ela também, inclusive coisas desnecessárias. Que comprar é um vicio e que se está numa loja para comprar um sapato para a mãe, acaba comprando dois para ela, mesmo sem precisar. 
Isso se chama CONSUMISMO!
Consumismo é o ato de comprar produtos e/ou serviços sem necessidade e consciência. É compulsivo, descontrolado e que se deixa influenciar pelo marketing das empresas que comercializam tais produtos e serviços. É também uma característica do capitalismo e da sociedade moderna rotulada como “a sociedade de consumo”. BrasilEscola
Puxa, que puxa... lendo o significado acima, percebo que há mais pessoas assim, do que imaginamos! Até eu, que NÃO me considero uma pessoa consumista, descobri que SOU consumista, em alguns momentos! Abri meu guarda roupa e vi tantas bolsas que nem me lembro de ter usado todas. Mas, eu fui pra luz(rsrs), já há algum tempo e não vivo mais assim. Parei com essa mania de comprar coisas desnecessárias. *-* 
Tá, tá, tá, de vez em quando tenho uma recaída, mas, busco me “policiar”. Minha amiga Karla Xavier sempre diz que sou muito controlada. Realmente, sou!
Brincadeiras à parte, esse caso é mais sério do que imaginamos. Não percebemos que esse problema acarreta outros mais sérios ainda. Além de poder se tornar um distúrbio de ordem mental, tbem colabora para problemas seriíssimos, de ordem ambiental.

Há alguns anos assisti um vídeo que se chama “História das coisas”. Esse videozinho apresenta os problemas sociais e ambientais que surgiram a partir desse hábito desenfreado e desnecessário, mostrando que o consumo consciente é uma boa forma de controlar seu impulso consumista. Acredito que a maioria aqui já deve ter visto, pois circulou pela internet e virou “o vídeo do momento” durante um bom tempo. Não me estenderei no assunto, pois é uma temática que merece um espaço maior...
Não sou "bobinha" à ponto de achar que esse problema vai acabar. Mas, não custa tentar amenizar a situação... Sacomé, né!? A gente ainda acredita no bicho homem.

Para quem ainda não conhece o vídeo, História das coisas, aqui está! Vale a pena conferir...


Finalizo com minha querida Mafalda, para descontrair um cadinho!!!
Cultura X Consumismo

Beijinhos!
Câmbio, desligo... 

Ps. Esta postagem já estava pronta, quando surgiu a proposta do Christian V. Louis(do blog Escritos Lisérgicos) de se fazer uma Blogagem Coletiva com a temática "Consumismo em época de final de ano". Foi então que resolvi acrescentar meu texto dentro da B.C. em questão. :) Para saber mais sobre o projeto do Chris e ler outros textos referentes ao tema, basta irem ao post clicando aqui.

5 comentários:

  1. Joicy,
    Excelente texto.
    Não sou consumista,rs.
    Vou tentar exemplificar:
    Sapatos>
    tenho 1 sapato social, 4 tênis e 2 chinelos.
    Compro roupa quando antigas jão não servem mais e faço doação das peças semi novas.
    Até minha paixão : filmes(DVDs)só compro aqueles que realmente merecem fazer parte da minha coleção,rs.
    Por outro lado não consigo poupar $...estranho né?
    Ou ganho muito pouco,rs.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Joicy, primeiramente, obrigado por aderir a BC, eu já pensei que seria BC de uma pessoa só e me surpreendeu haver outras participações. Afinal, não importa a quantidade, mas a qualidade dos posts, como sabe.
    E segundo, eu penso que todo ser humano, sem exceção, é consumista. Alguns em graus mais elevados, porém, isto é algo que vamos aprendendo desde a infância (óbvio, ninguém nasce consumista) e acredito que de acordo com a educação que temos ao longo da vida é que acaba determinando, de algum modo, como vamos lidar com isto quando adultos.
    Como relatei em meu post, eu fui uma criança tirana e chantagista pra caralho, tinha total consciência que meus pais se sentiam culpados por um deles ser ausente Natal atrás de Natal e tirava vantagens com isto. Precisou alguém centrado me orientar que aquilo não era prioridade na vida e me fazer perceber que tudo o que eu pedia (exigia) era logo deixado de lado em poucos dias e eu acabava por me sentir sempre insatisfeito.
    Penso que talvez eu me criasse assim, nesta insatisfação que há nos consumistas em grau elevado, se não tivessem me orientado. E me pergunto se não tivesse esta orientação, teria percepção ou ficaria totalmente cego como as pessoas vejo, principalmente em fim de ano, estourando cartões de crédito para caprichos e coisas totalmente desnecessárias.
    E sim, eu também tenho alguns supérfluos acumulados, algumas coisas que comprei e hoje olho e penso: WTF??? O que me fez comprar isto? Contudo, acontece o mesmo quando sou atingido pela procrastinação: eu me dou conta e reverto o quadro do modo que posso. Seja doando, como o caso da Patrícia ou seja simplesmente procurando ser mais seletivo ao fazer compras.
    Depois que terminei o Ensino Médio, algo que risquei da minha lista de vida é o tal do amigo secreto. Porque nunca é em um só lugar! Todo lugar onde se é frequentador tem esta porra no fim de ano, um gasto pequeno aqui, outro lá, quando se vê, está sem grana e cheio de presentes inúteis que nunca quis receber. Caí fora desta tradição, mesmo que uma de minhas famílias a mantenha, eles sabem que não participo.
    E também me identifiquei com a Patrícia em relação a DVD´s e livros. Nunca, em hipótese alguma, adquiro um que não vá assistir ou ler. Para mim foi uma luta participar do BookCrossing Blogueiro porque os livros que eu adquiro realmente eu os li todos e releio, não são inúteis.
    Escrevi demais, como sempre, rs.
    Parabéns pela participação.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  3. Oi Joicy,
    este assunto dá panos pra mangas(rsrs);clichês dos bons e que cabe bem no tema.Desconfio que algumas ou quiçá, muitas pessoas estão vendo a "luz" como vc e conseguindo refrear a sanha do consumo desordenado.Há que se consumir com mais consciência, isto não é sovinice, ao contrário é bom senso e redescoberta dos valores realmente significativos da vida.
    Tenha um 2013 risonho e luminoso.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  4. OLá Joicy, bom dia, feliz domingo, linda de pele maravilhosa!! rss

    Gostei do teu texto, porque ele além de falar a verdade nua e crua desses dias de final de ano, ele é bem o teu jeito mesmo , despojado e bem humorado.
    "Comprar, ou não comprar, eis a questão", significa um baita desafio para quem tem um monte de despesas fixas durante o ano todo. E, pra quem tem pouca grana como eu e milhões de brasileiros, sair às compras de final de ano, tem duas situações: desistir e voltar pra casa de mãos vazias, ou entrar de cabeça nas vitrines maravilhosas, com aquelas sandálias tentadoras, aquelas roupinhas descoladas que deixa a gente mais bonita...Afff...kkkkkkk...

    Sua participação nessa blogagem coletiva está brilhante, ainda mais com imagens até engraçadas a ilustrar o texto...Taí, gostei!

    Feliz Tuuudo pra vc, e pra sua linda família!

    Bjos da LU...

    ResponderExcluir
  5. Olá, querida Joice
    Vc foi muito sincera: SOU consumista também em alguns momentos como vc bem disse..
    O que importa é termos essa consciência de culpa e cortar o mal pela raiz... esse trabalho diário nos leva a um grande crescimento em relação a questões vitais para a nossa qualidade de vida...
    Bjs de paz e bem em 2013

    ResponderExcluir