4 de ago de 2012

Mary Bell: Quando uma Criança Mata

Retirada DAQUI
É estranho imaginar que um ser frágil como uma criança é capaz de matar alguém. Ainda mais se for uma bela menina de olhos claros. Contudo, o mundo é um lugar imperfeito, as aparências enganam e o passado - por mais curto que seja - interfere na visão de mundo. Quando o assunto é crime as justificações são dúbias e nunca concretas; Mas, quando as coisas são encaixes exatos do real?

Mary Bell tinha apenas 10 anos - na verdade, um dia antes de completar 11 anos de idade - quando ela matou a primeira vez. Voltou a assassinar com 11 anos. Suas vítimas foram dois menininhos, Martin Brown de 4 anos - o qual foi estrangulado - e Brian Howe de 3 anos - estrangulado, perfurado nas coxas e genitais e  cravado um M na sua barriga com uma lâmina de barbear. Houveram outras acusações de tentativas de estrangulamento dela contra quatro meninas. A natureza cruel de seus atos e a pouca idade da garota tornaram o seu caso muito expoente, havendo as mais variadas teorias sobre sua postura social e psicológica. Seria ela um monstro ou vítima das circunstâncias?

A vida familiar de Mary era completamente desestruturada, sua mãe era prostituta, além de ser uma ausente. Bell nunca chegou a conhecer seu pai. Em compensação sua mãe aplicava castigos severos, chegando a permitir - forneceu o consentimento - que ela fosse abusada sexualmente, isto tudo antes dela completar 5 anos de idade. Alguns familiares afirmaram que a mãe de Mary Bell tentou matá-la e fazer parecer acidente. Durante o seu julgamento psiquiatras deixaram claro que havia sinais de psicopatia nela - Mary chegou a declarar que: "Eu gosto de ferir os seres vivos, animais e pessoas que são mais fracos do que eu, que não podem se defender" -, influenciando para que a mesma fosse condenada a prisão por tempo indeterminado, mediante avaliações psiquiátricas.

Durante o seu aprisionamento não possuiu o melhor comportamento, tentando fugir da Prisão de Moore, local onde foi designada. O tempo passou e após muitos tratamentos e avaliações ela foi liberada em 1980, com 23 anos, sob supervisão. Teve alguns empregos que não foram bem sucedidos, em parte pela preocupação de que voltasse a transgredir, como no caso de uma enfermagem para crianças. Mais tarde engravidou e teve que lutar pelo direito de criar sua filha, a qual nasceu em 1984, uma vez que evidente o zelo perante seu passado. Neste ínterim, foi-lhe concedido o anonimato, bem como o de sua filha. Todavia, em mais do que uma ocasião foi descoberta e coagida. Em 2007, depois da morte da sua mãe Mary Bell aceitou ser entrevistada, o que resultou no livro "Gritos no Vazio". As últimas notícias que se tem dela é que hoje está casada, é avó e vive sob o medo da exposição.

Deixo aqui o episódio completo de uma série de cunho documental chamada "Children of Crime" lançada em 1998, o qual conta sobre o caso de Mary Bell - áudio em inglês

"Brian Howe had no mother, so he won't be missed."

3 comentários:

  1. O que dizer!?!?!? Fiquei chocaaaada, Karla!

    Enfim... quando esses casos acontecem por mãos de seres tão pequenos, ficamos mais descrentes ainda. Contudo, psicopatia é coisa séria e suas características se manifestam desde a tenra idade.

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  2. Karla,
    belissima pesquisa!
    Adoro ler, pesquisar e falar sobre perfis: serial killers, psicopatas, sociopatas.....
    São muitas opiniões, formulações, estudos casos clinicos sobre esse tipo de crime.
    Penso que a predisposição, genética,historico familiar, lesões cerebrais...'Podem' resultar em individuos capazes de cometer tais atos.
    Quando puder leia os links da Revista MENTE E CEREBRO(bem interessante)

    http://www2.uol.com.br/vivermente/artigos/cognicao_e_esquizofrenia.html

    ResponderExcluir
  3. Karla,

    Adorei sua pesquisa! O tema sempre me agrada, pois ainda quero atuar na área forense.

    Bjos
    Amanda Fernandes
    www.redapplepinups.com

    ResponderExcluir