22 de ago de 2012

A Cerca Baixa e a Grama Verde do Vizinho

Minha coluna aqui no blog é sobre sexualidade, mas envolto desse tema, estão tantos outros interligados, como família, tabus sociais, desenvolvimento feminino, relacionamentos, entre outros que me propus a escrever sobre traição e conceitos acerca delas, que passam na minha cabeça.

A traição na maioria das opiniões sobre o tema que já ouvi, é algo letal para o relacionamento e está diretamente ligada à insatisfação daquele que a comete. Não concordo. Ela pode sim, ser um indicador de uma insatisfação, mas não acho que só dela é feita uma pulada de cerca.


Mas de fato, o que é uma traição?


Ficar? Transar? Dar amassos sem beijar? Beijar sem transar? Seduzir sem ficar? Pensar em outra pessoa? Fantasiar? 

Essas são perguntas que cada pessoa responde de acordo com o princípio que tem.

Creio que existem N explicações/justificativas para traições... (E não que sejam motivos para condenar ou perdoar, ok?!)

Existem pessoas que são inseguras e imaturas. Elas têm medo de serem traídas e esse é o grande motivador da prática. "Ele pode me trair a qualquer momento. Não quero ser corna sozinha, logo, antes me arrepender do que fiz, do que daquilo que deixei de fazer."

Outras que não são muito ligadas nas "gramas verdes" que passam pelo seu percurso, mas uma ou outra pode lhe chamar a atenção e quando vêem, puft. Feito. Foi mais forte do que a pessoa, mas ela não estava insatisfeita e muito menos tem a intenção de terminar o relacionamento.

Aquelas que o relacionamento já está mais capenga que acidentado em fila de "Pronto Socorro" e não tem coragem de terminar... precisam de uma mão amiga, que normalmente é uma nova mão, para dar um basta no que já não existe mais.

Umas que precisam do externo para valorizar o interno. A pessoa dá aquela puladinha de cerca ~básica~, e volta pra casa com um buquê de flores e chocolates Kopenhagen . É a forma dela ver de fora que o que têm com ela é muito melhor.

Existem pessoas que não são de uma pessoa só. Elas simplesmente não conseguem se contentar em ficar apenas com quem resolveu dividir a vida, e se deixa levar pela vivacidade que aparecem nas pessoas que cruzam seu caminho e tintilam sob seus olhos. Para elas, isso é muito forte e real, mas não é indicativo de insatisfação ou crueldade. Elas simplesmente conseguem ficar com outras pessoas, não se envolverem (o que também, pode acontecer) e continuar com seu relacionamento sem maiores transtornos. 

Acho que esses são cinco dos inúmeros perfis e justificativas para ser infiel com aquele que está ao lado. Não estou defendendo nem condenando. Apenas ponderando um assunto muito generalizado e colocado, por vezes, dentro daquele conceito de que é tudo uma coisa só. 

Muitas vezes, começamos um relacionamento com alguém as escuras, sem saber nada sobre a vida pregressa daquela pessoa. Entretanto, aquelas com as quais tivemos condições de ouvir um pouco mais da história, sabemos um pouco de como ela vê as coisas e temos ideia de como será o desenvolver do relacionamento, se as coisas caminharem para isso. Não se iluda... não será você o grande mestre que mudará o fulano que está com você. Ele pode sim, e é o mais provável, repetir o ciclo que costuma ter com as pessoas com as quais se envolve. 
Isso não é regra, principalmente porque, com o tempo, as pessoas tendem a amadurecer e a pensar nas consequências daquilo que fazem, mas a repetição é algo tão natural do ser humano, que a probabilidade de acontecer é grande.

Assumir as consequências de seus atos é tão importante quanto assumir a responsabilidade de ter começado a se relacionar, com aquele a quem você já sabia como era. Se já era do seu conhecimento, repense seu ego inflado de achar que com você seria diferente. E claro, você tem a opção de aceitar ou não as coisas como acontecem.


Uma outra coisa a ser ponderada acerca da temática traição é o julgamento que é feito daquele que trai. O traído tem o direito de ficar puto e triste... com raiva e até enfurecido. Mas, normalmente, quem toma esse tipo de atitude é crucificado até a morte, sendo que todo mundo, uma vez na vida e por motivos dos mais diversos, já passou pela situação. Quantas milhares de vezes, nós ficamos sabendo da vida de alguém, falamos, criticamos, defendemos ou acusamos... E, num segundo momento, estamos lá, naquele mesmo papel de quem estávamos falando há pouco? 
Esses julgamentos são muito perigosos, porque vamos acabar passando pelas mesmas situações, uma hora ou outra na vida. Então, é bom que tenhamos em mente que a pimenta que agora estão nos olhos alheios, podem arder mais tarde nos nossos, e aí, meus caros, é que a porca torce o rabo e pagamos a língua grande que tivemos.

Hoje em dia, conheço muitas pessoas que passariam por cima de traições por entenderem a condição complicada que é manter um relacionamento fechado por muito tempo. Sabemos que o tesão diminui, a amizade aumenta e que outras pessoas chamam a atenção. Outras, no entanto, se mantem firmes na posição de que se traiu, acabou. Assim como assim, quem tem maior razão ou verdade, não importa. Se é que isto existe. 


Mas o fato é que este é um assunto que devemos falar, pensar sobre porque faz parte de coisas que acontecem na vida e é preciso não fechar os olhos para o que pode acontecer conosco ou partir de nós mesmos.









5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Traição é de fato uma parada de ponto de vista. Trair os proprios sentimentos e vontades me parece muito cruel. Para mim só "honramos" o compromisso de não trair quando estamos com alguém, porque esse estar com alguém nos é mais satisfatório na maior parte dos momentos do que aquela ação individual. A busca por qualquer tipo de prazer, fisico, emocional é ao meu ver latente demais no ser humano, maior do que qualquer conexão que apareça. Dai vem aquela coisa da ação-reação, que se bem conversada pode ser até revista entre as partes. Perdoar uma pulada de cerca é simplesmente perceber que ela é menor do que aquilo que você vai perder. Mas eu também não confio no perdão humano...e eu concordo sobre a repetição e acho que amadurecer também pode ser perceber que você não consegue deixar de se encantar mesmo encantado. A questão é assumir, é ser leal, é deixar claro até onde você pode ir, até onde você suporta que o outro vá.

    ResponderExcluir
  3. sensato. tem a ver com escolhas e aí entra em jogo uma pergunta não fácil de responder: "o que eu quero de fato?".

    ResponderExcluir
  4. Cada lado, um sentimento. Uma razão. Uma dor. Acho que sofre quem trái e quem é traído. Sofrimentos diferentes, a depender da situação. Tema muito vasto, riquíssimo, portanto digno de muitas postagens de temas, subtemas, pois embora a traição seja uma palavra singular, ela é cheinha de pluralidades...
    Gostei daqui. Vou seguir. Beijos.
    Theka.
    http://comigomesmasim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Traição para mim é a pior coisa , seja por namorado ou amiga , enfim pra mim isso não tem perdão do jeito nem mais .. mais cada um é cada um né .
    http://docemeninasgirls.blogspot.com.br

    ResponderExcluir