3 de jul de 2012

Mulheres de Celulóide # 2 - Como Matar o seu Namorado


Gente,a postagem de hoje,confesso a vocês estava difícil de chegar às vias de fato. Ultimamente  a minha tarefa é de repor todo o HD perdido do computador,sabe,livros,músicas,filmes,coisas do tipo e durante esse processo eu tenho entrado em contato com muitas coisas novas,enquanto que muitas outras, eu estou redescobrindo e me maravilhando com o novo significado que elas tem para mim.

Nossa,fazia tempo que eu não lia os quadrinhos do selo Vertigo, da DC Comics.

Para quem não sabe,é o ramo da DC Comics que explora o interesse dos expectadores adultos com temas digamos "impactantes". E dentre tantos títulos,eu escolhi o "Como Matar o seu Namorado" por se adequar a uma única postagem,por ser um especial e por não ter continuação. Acho bem chato resumir algo que precisa ser analisado em profundidade,ainda mais se for material extenso,não tem como registrar as nuances,principalmente em HQ´S que contam com inúmeras sagas paralelas e realidades alternativas. 

É o que o diferencia essencialmente os HQ´S dos mangás,os quadrinhos japoneses,essa noção da completude. Eles tem começo,meio e fim e se tem sagas paralelas,elas unem-se mais adiante como peças para solucionar a versão original. Pois bem, a minha HQ é filha única e foi publicada pelo selo Vertigo em 1995,e surgiu da cabeça visionária de Grant Morrison,autor dos cânones do mundo dos quadrinhos,como é o caso do excelente Homem Animal.


A escolhida de hoje para ilustrar o "Mulheres de Celulóide" vamos combinar aqui entre nós,não possuirá nome próprio,pois pode ser qualquer pessoa que a gente conhece,em certos casos pode até mesmo calhar de sermos nós mesmas!É eu falei isso mesmo para você mocinha,que provavelmente achará o meu texto! Cuide de sua cabecinha! Como? Confiram!

Nesta hq,uma garota na típica fase da esfervescência hormonal sente-se entediada com a sua vidinha de secundarista,filha da classe média e namorada de nerd,tudo muito certinho. Ela chegou numa idade em que o seu corpo domina a sua mente e grita por fortes emoções. Tudo o que ela queria na vida era sexo,perder a virgindade,ser feita mulher,gozar,gritar,espernear,revirar os olhos...só que o namorado dela parecia não se importar com a sua pessoa, o negócio dele era engordar devido às dezenas de horas gastas em frente ao videogame,exatamente assim,além do fato de ser campeão de punheta inveterado. [ Putz,parece o namoro é um lance de status para fazer inveja aos amigos igualmente nerds e punheteiros.] Meninas assim,com o coração diminuto e a cabeça conturbada e pais cegos por diversas questões que não vamos enumerar aqui  costumam encontrar todo o conforto e a identificação que necessitam ao lado dos que estão à margem da lei.

Confiram algumas imagens:











Continuando...



É uma história comum,volta e meia vemos exemplos e mais exemplos na mídia de meninas que como a nossa protagonista embarcam de cabeça nesse mundo gerando cabelos brancos e histeria em seus familiares estarrecidos,boquiabertos com tal atitude. É o familiar sentimento do "onde foi que eu errei"? Pois a nossa jovem personagem encontra um rapaz desajustado,daqueles que gostam de ser sempre do contra e que tomam atitudes insensatas,muitas vezes anárquicas e violentas só para chocar. Em dado momento ela encontra o parceiro perfeito de crime! Além de levar à cabo a intenção do título da HQ e fizeram merdas muito maiores ao decorrer das páginas, e o final é insólito,bem típico de Grant e sua técnica metalinguística.

 É uma leitura que de certa forma nos faz repensar a nossa sociedade como um todo, mas não só a sociedade brasileira e nem tão somente a britânica a qual o autor escocês fez questão de alfinetar com a sua arte, é a sociedade global,pois em todo o mundo existem situações como essa,o tempo todo adolescentes tomam decisões estúpidas e desses existem milhares espalhados pelo globo...

Enfim,escolhi "Como Matar o meu Namorado",pois combina muito com as últimas postagens do nosso blog que em comum falam de relacionamentos abusivos e pessoas que não tem autoafirmação. O que esta hq e essas postagens tem a ver? Tudo,basta somar A + B.

Quem se interessar pelo HQ pode baixá-lo AQUI
Espero que gostem!


Beijocas!!!



4 comentários:

  1. ISso que dá namorar nerd, que só se interessa em tecnologias mecânicas e elétricas.

    Ele vai torturar os namorados até eles cantarem nossa, nossa, assim você me mata?

    Beijogro

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Ana.
    Li essa hq um tempo atrás e achei ótima, muito louca mesmo, como é o hábito do Grant Morrison (acho que em tornei fã dele ao ler a história O Evangelho do Coiote, na revista DC 2000).
    Acho que o que ele quer dizer com ela é que nenhuma mulher (ou pessoa) deve apenas existir, e sim viver de verdade.
    Até mais, Ana.

    ResponderExcluir
  3. Oi meninos que bom vê-los aqui prestigiando o blog!!!

    Ogro só sendo um pouco nerd para aturar um outro nerd! E o meu marido é um nerd e tem as mesmas características que o primeiro namorado da protagonista!As vezes eu ficava pelos tampos,mas com o tempo ele aprendeu a dar prioridade as coisas que realmente interessam na vida!Outro beijogro para você e seja sempre bem vindo,aproveito e lhe peço que leia minhas outras matérias para que depois você me dê o seu parecer!

    Jacques,seu lindo,estou verificando minhas "tarefas" somente agora,então é um quase Boa Noite! Grant Morrison é um dos meus,eu também só funciono assim na base do absurdo! O Evangelho do Coyote é mais um que está na minha lista para ser resenhado!Com certeza a pessoa não deve se prender ao lugar comum e passar esta vida em branco,mas com certeza dá para viver loucamente,incluindo aventura e sexo sem fazer merdas,perincipalmente as catastróficas,que provocará falhas indeléveis nesta vida que anseia por ser algo mais que matéria perecível! Como recomendei ao amigo Ogro,talvez você goste de ler as minhas outras resenhas e dar o seu parecer! Beijocas!

    Podem esperar que logo lhes retribuirei a visita em seus excelentes blogs!

    ResponderExcluir
  4. Divertido ver como uma postagem pode inspirar outra;
    Muito legal o tema do HQ, com todo o seu lado mais impactante e hormonal... Pelo jeito ela não se importa de ir além quando o assunto são emoções... Fiquei bem interessada em conferir!

    ;D

    ResponderExcluir