23 de jun de 2012

Karla Homolka: Paixão Assassina

Imagem retirada do Tumblr.
Em meu blog Nascida em Versos escrevi uma postagem com 10 Casais Assassinos - uma conjunção de amor, obsessão, fragilidade e morte -, e dentre eles havia a história de dois canadenses que com seus jogos de perversão sexual e boa aparência ganharam o apelido de "Barbie e Ken Murders". É justamente sobre a "Barbie" que irei falar hoje.

O amor é um sentimento complexo e muitas vezes confundido. Há quem diga ser instantâneo, outros acreditam na construção através da vivência e, ainda, a os que crêem que em nome deste extasiar de si justifique-se tudo. No meu ver, o exagero do sentir, quase que como de arroubo, ainda está na categoria Paixão. Ela é insana e insensata, o amor é compassivo e compreensivo. Por isto, é na paixão que irei classificar a relação que Karla Homolka vivia com Paul Bernardo; Não apenas me referindo a este sentir em seu estado puro - que sabe ser delicioso -, mas, arreigando um estado de co-dependência, de delírios e, por que não dizer, de doença. Quando a paixão nasce entre dois seres instáveis, o resultado muitas vezes é o mais desastroso possível. Aqui resultou na morte de 4 garotas, havendo a possibilidade de mais vítimas.

Karla Homolka era uma adolescente normal, bonita e um tanto intensa. Descrita como uma garota de personalidade, ela nasceu em 1970 e tinha duas irmãs. Sua família possuía uma boa condição financeira e a mesma estudava. Só que em 1987 sua vida tomou um rumo completamente diverso quando conheceu Paul Bernardo, com 23 anos na época. De cara apaixonou-se por ele, o qual costumava a presentear com frequência. Apesar dele residir em outra cidade, Homolka viu-se completamente seduzida e deixou que seus dias fossem em torno desta sua paixão.

Todavia, ela desconhecia o lado sombrio de Paul: Responsável por uma série de estupros ocorridos nos anos de 1987 a 1990. Aos poucos o caráter duvidoso do rapaz foi aparecendo na relação, como pequenos abusos e a revolta por ela não ser virgem quando iniciaram o namoro, engajando Karla a envolver-se de forma doentia com o mesmo. O namoro virou noivado e, para contentar a moça, seus pais permitiram que Paul viesse residir com eles, diminuindo a distância física entre os dois. 

O casamento deles ocorreria no ano de 1991 (imagem ao lado via Tumblr.).Paul cuidou detalhadamente da cerimônia: Vestido, penteado e votos de Karla - “ama-o, honra-o e obedece-o”, além de não ter permitindo que o ministro pronunciasse “marido e esposa”, mas apenas “homem e esposa”. Alguns meses antes dos votos Karla resolveu presentear seu marido - que há este ponto já tinha deixado claro o interesse pela irmã mais nova dela, a virgem Tammy. Assim, ela furtou da veterinária onde trabalhava um anestésico animal, dopou Tammy e a ofereceu ao seu esposo. Ambos filmaram a ação que envolveu estupro e posterior morte, a qual decorreu do abuso do medicamento fazendo com que a menina de 15 anos vomitasse e tivesse uma parada cardíaca. O casal chamou a ambulância e o falecimento entendido como acidental.

Quem não gostou nada deste desfecho foi Paul, que se demonstrou revoltado pelo seu "presente" não ter decorrido da forma imaginada. Karla tentou de diversas formas agradá-lo, como por exemplo com a prática de sexo no quarto da Tammy fingindo ser ela. Nada acalmou as demandas dele que exigiu uma reparação pelo acontecido.

Para saciá-lo, Homolka atraiu uma amiga a nova casa alugada dos dois e dopou-a. Paul e sua esposa fizeram o mesmo que com Tammy: Filmaram o estupro, inclusive sexo anal e interações entre ela e Karla. A garota acordou no dia seguinte desnorteada e ferida. Contudo, nada foi descoberto.

Os anos foram passando e agressividade de Paul combinada com a dependência dela aumentando, o que culminou em mais três assassinatos, com violência sexual, brutais: Leslie Mahaffy de 14 anos (1991, morta enforcada com fios e teve seu corpo dividido com uma serra), Terri Anderson de 14 anos (1991) e Kristen French de 16 anos (1992, corpo encontrado nu, o cabelo raspado). Mais detalhes dos crimes no site O Serial Killer.
Imagem retirada do site O Serial Killer
A denúncia contra o casal só aconteceu em 1993, após Karla ser hospitalizada em decorrência de agressões de Paul contra ela. A polícia ligou alguns detalhes e ela acabou confessando. Em troca das informações ela foi condenada a 12 anos de prisão, estando apta para condicional em 3, enquanto Paul foi a 25 anos mínimo para tentar a condicional. O acordo gerou revolta, já que pelos relatas ela participou ativamente dos delitos. Eles se divorciaram em 1994.

Abaixo seguem algumas imagens de vídeos caseiros do "Ken e da Barbie Killers":


O programa Índice de Maldade apresentou um especial sobre cúmplices Serial Killers, fazendo uma análise do caso dos canadenses. Vale a pena ser conferido.


Ademais, em 2006 a história do casal foi transformada em filme; Karla - Paixão Assassina:


Karla conseguiu alterar seu nome para Leanne Teale sendo que, atualmente, é mãe e casada com Thierry Bordelais. Em 2002 foi lançado o livro Le Pacte Avec Le Diable, escrito por Stephen Williams onde se publicou as correspondências entre ela e o autor. Foi liberta em 2005, em que pese as análises psicológicas tenham confirmado uma personalidade fria e anti-social.

Paul continua preso, isolado em uma cela 23 hora diárias.

Via Tumblr.
Certa vez Friedrich Nietzsche disse: "Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal". Será?

13 comentários:

  1. Dá até calafrios uma história dessas! A que ponto pode chegar uma relação de dependencia...

    ResponderExcluir
  2. parabéns karla adorei o texto e essa história macabra sempre me fascina pelo grau de maldade que é capaz um ser humano.

    ResponderExcluir
  3. Ana Carolina:

    Realmente é algo extremamente alarmante!
    E o complicado é que não é o primeiro, nem o último caso de um amor em tamanha dependência.

    ;D

    ResponderExcluir
  4. Josi

    Obrigada!
    Estou tentando intercalar entre as malvadas da ficção e as reais...
    A ficção não consegue chegar na maldade real!

    ;P

    ResponderExcluir
  5. Que história... Uma vez li algo sobre casos como esse, que duas pessoas ao se juntarem formam uma terceira personalidade, e juntos são capazes de fazer coisas que não fariam individualmente. Não sou psicólogo, só um curioso que de vez em quando lê sobre isso, mas para mim faz sentido, especialmente em casos assim.

    ResponderExcluir
  6. Nossa não conhecia essa história...

    Ótimo texto... Sempre saiu satisfeita com as matérias nesse blog!!!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom mesmo. Eu tenho o filme aqui em casa. Misha Collins foi perfeito em interpretar Paul. Uma paixão cruel e sem limites.

    ResponderExcluir
  8. Gente eu tenho um Invitation Code da Playbook!

    aquele site de relacionamentos que saiu na matéria da globo e é a nova sensação da rede

    Invitation Code: WZgY5M1N
    http://www.playbook.k6.com.br

    Estou recebendo uma procura mto grande porque sou um usuário que foi convidado.

    Conselho, não se cadastrem com o mesmo nome do facebook para não ficarem te pedindo um Invitation Code.

    ResponderExcluir
  9. Assustador!!! :O
    www.kerojogos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Se eu fosse parente de alguma das vitimas minha pena seria bem mais severa!!

    ResponderExcluir
  11. Ivanildo
    Acho que tem muito disto sim.. esta associação ser além deles.
    Ótima contribuição!

    Ervas Finas
    Conferi o filme não faz muito... Assisti Supernatural com outros olhos.. hehehehhe

    Edg
    O ser humano muitas vezes decepciona e apavora.

    Malhafina Adm.
    Ficaram revoltados no Canadá com a pena dada a ela... A Karla fez um acordo, mas, realmente foi uma pena pequena.


    Muito Obrigada pelos comentários pessoal!
    ;D

    ResponderExcluir
  12. Eu li sobre essa assassina! Ela era uma doente... fiquei muito estupefata ao ler que ela dopou sua irmã mais nova e permitiu que o seu amante praticasse todas as bizarrices sexuais com ela. Foi de fato chocante!!!

    A população canadense ficou de fato revoltada com a curta condenação que ela levou...

    Enfim, uma verdadeira sociopata, em minha opinião!

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  13. Uma das maiores injustiças da história.Essa mulher era tão lixo quanto o seu marido,mas pegou apenas 12 anos de prisão.Ela deveria morrer na cadeia junto com o seu ex companheiro.
    Falam do Brasil,mas injustiças também acontecem mundo afora.

    ResponderExcluir