17 de mai de 2012

Sacolinhas Plásticas:SUC,POW,PLAFT!


Não é novo o fato de que as cidades produzem, diariamente, milhares de toneladas de lixo e que esse é um problema que vem se tornando cada vez maior. No entanto, estamos chegando a um ponto em que já não é mais possível prosseguir sem que medidas mais eficazes sejam tomadas. Os aterros já não conseguem absorver tanto lixo, e a degradação do meio ambiente está tomando proporções perigosas para nossa sobrevivência no planeta. Calma! O mundo não irá acabar em 2012, rs . O que provavelmente ocorrerá é a intensificação e massificação dos desastres naturais gerando um caos social. Um bom exemplo são as estações climáticas cada vez mais intensas.

Nossos rios e represas estão cada vez mais contaminados, ratos e insetos proliferam, as ruas estão sujas favorecendo todo o tipo de doenças. No Brasil, somente cerca de 11% do lixo é reciclado. Em latinhas somos pioneiros..Mas, e o restante? Com isso cerca de 400 milhões(anualmente)  jogados no LIXO(literalmente).O poder público precisa enxergar essa nova e rentável fatia de mercado ampliando, modernizando e reestruturando as cooperativas já existentes. De nada adianta reciclarmos se temos poucas Cooperativas atuando. Precisamos cobrar mais iniciativas, exigir mais cooperativas de reciclagem: Gerando lucro(exemplo:Empresas compram garrafa Pet para fazer Stands,Placas de Trânsito) com a falta de matéria prima - Acabam , importando dos 'vizinhos' Argentina,Chile...Olha, o nosso dinheiro indo embora! A sociedade também deve participar de forma efetiva reduzindo o consumo, reutilizando materiais e  reciclando.Lembrando, que se você não tem coletor de recicláveis em seu bairro(basta verificar Cooperativa mais próxima - Link abaixo) ou separar o lixo reciclável do orgânico e deixar na coleta comum(muitas vezes no Aterro – catadores[nossos anjos] recolhem e vendem) Outra dica quando for ao supermercado escolher produtos que venham com menos embalagens ou com embalagens mais resistentes e reutilizáveis. No momento da escolha de bens duráveis (fogão, móveis, eletrodomésticos) podemos optar por modelos de melhor qualidade, com garantia, que durem mais reduzindo a necessidade de comprá-los de novo em breve. 
Cidadão Consciente deve lutar por maiores melhorias em seu bairro, comunidade e cidade.
Agora, vamos falar um pouquinho das sacolinhas plásticas – Vilã ou Mocinha?

Vilã:
As sacolas de plástico demoram pelo menos 300 anos para sumir no meio ambiente. Em todo o mundo são produzidos 500 bilhões de unidades a cada ano, o equivalente a 1,4 bilhão por dia ou a 1 milhão por minuto. No Brasil, 1 bilhão de sacolas são distribuídas nos supermercados mensalmente - o que dá 66 sacolas por brasileiro ao mês.
No total, são 210 mil toneladas de plástico filme, a matéria-prima das sacolas, ou 10% de todo o detrito do país. Não há dúvida: é muito lixo. Algumas alternativas estão sendo adotadas. Uma delas, muito popular na Europa e nos Estados Unidos, é o uso de sacolas de pano ou sacos e caixas de papel.
O ideal seria a troca, pura e simples, do material plástico(lembrando, que sacola oxibiodegradável dá na mesma ref poluição) por pano ou papel.

Mocinha:
A indústria do plástico publicou um informe nos jornais brasileiros:"O plástico faz parte da vida contemporânea, é 100% reciclável e está em milhares de produtos.Sem ele, não haveria computadores, seringas descartáveis, bolsas de soro e de sangue para salvar vidas. O plástico tornou os automóveis mais leves, reduzindo a emissão de CO2, causador do efeito estufa.

Na verdade, sou favorável ao uso consciente de qualquer embalagem e uma conscientização séria sobre consumo e reciclagem. Lugar de lixo é no LIXO! Já vi de tudo em matéria de educação ambiental e cidadania. Simplesmente, não dá mais para ver sacolinhas plásticas entupindo bueiros, sendo utilizadas como 'saco de lixo'( o material do saco de lixo é mais apropriado para decomposição) sacolinhas sendo jogadas pela janela de SUV´s ou transporte público (culpado é o ‘estresse trânsito’- não cola né?) tenha um lixinho no carro e no ônibus quando não tiver cesto coloque na bolsa, bolso. Empresários e o Poder Estatal (antes de jogar a BOMBA no colo do consumidor) deveriam ter colocado a disposição (meses antes) algumas opções. Um bom exemplo é a volta do uso saco de papel reforçado - OAB de São Paulo já adotou em sua  CAASP.  Não é impossível!

É necessário por parte do governo e setor empresarial bom senso e programação para tais mudanças de comportamento. Lembram dos sacos de papel do JUMBO ELETRO?(Um grande hipermercado de São Paulo)  Hoje temos ecobags. Por falar em ecobags, sempre bom ler o local de procedência (algumas são fabricadas no Vietnã) resulta em trabalho escravo- Vide vídeo abaixo.

Novamente, quem pagará a conta? O cidadão. Uma mudança de atitude que brilhou em NY, Canadá e Inglaterra por aqui mal dirigida e com “jeitinho brasileiro” está sendo um PARTO (complicado e com contrações infinitas) Até quando?.

Sei que muitos brasileiros não gostam de falar sobre meio ambiente, alguns empresários, algumas ONGs, governo aproveitam a “ONDA VERDE” (tudo pelo planeta) para ganhar dinheiro. Mas, sei que ainda existem muitos que se importam que educam seus filhos de forma consciente, que cuidam do seu bairro, do seu lixo, do seu planeta- Somos interligados!

É preciso repensar o consumo, a reciclagem de lixo(gerando lucro) e o reuso de materiais.É preciso INVESTIR e AMPLIAR o serviço de COOPERATIVAS de RECICLAGEM para isso é preciso que a população RECICLE e o poder público/ privado invista em campanhas sérias de educação ambiental e trate de forma responsável os coletores e associações. 

Na verdade, é muito simples adotar ou “voltar” ao estilo de vida menos desgastante a si mesmo, ao próximo e ao ambiente. Basta sempre se informar mais, querer mais e lutar mais.  
“Conhecemos a grandeza de uma nação pelo modo como ela trata seus animais” 
- Gandhi


Complementando:
...Ou como trata seu Planeta, si mesmo e o próximo!
  

4 comentários:

  1. A minha cidade foi a primeira do Brasil a criar uma lei municipal proibindo a distribuição gratuita de sacolas plásticas...
    O pessoal reclamou um pouco no início, mas, por aqui a regra é ecobag. E é algo tão simples...
    Outra coisa que eu acharia interessante de ser feito é o recolhimento no mercado mesmo daquelas embalagens extras dos produtos.. dali já ir para a reciclagem... questão de se acostumar!

    ;D

    ResponderExcluir
  2. Karla,
    é bem por aí o caminho!
    Aqui em São Paulo tá sendo um (partooo) Guarulhos nem quer saber de aderir.
    Infelizmente, trabalhar com educação ambiental é árduo.
    beijooooooooooos

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Realmente, é questão de costume mesmo. Certa vez criaram uma comunidade no Orkut "idolatrando" as sacolinhas de um supermercado da região, pois elas eram amarelinhas e todos usavam para diversos fins, pode isso? uahuahuahua
    Parabéns pelo blog! =*

    http://perdinabolsa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir