9 de ago de 2012

Homossexualidade em série... Queer as Folk!

Aproveitando que estamos numa semana especial, aqui no Antes que ordinárias, onde temos abordando o tema homossexualidade, aproveitarei para deixar a dica de um seriado super interessante: “Queer as Folk”. Quando fui buscar um seriado que abordasse essa temática, digamos que esse foi o mais sugerido, para a postagem.
"Queer as Folk é o nome de duas séries televisivas dramáticas de sucesso, criadas por Russell T. Davies. O título é uma paródia com uma expressão inglesa: “ninguém é tão estranho como nós” (”nobody is so weird as folk”), com “ninguém é tão bicha como nós” (”nobody is so queer as folk”).
A série original começou a ser produzida em 1999 pela Red Production Company para o canal “Channel 4? britânico. Contava os conflitos diários de três gays que viviam em Manchester. A série adaptada é uma co-produção EUA–Canadá e começou a ser transmitida no ano 2000 nos canais Showtime (EUA) e Showcase (Canadá).
Conta a história de cinco gays e um casal de lésbicas que vivem em Pittsburgh, Pennsylvania. Há diferenças óbvias entre as duas séries: primeiro na quantidade de personagens e enredos, segundo nas cenas de nudez. Esta série é um marco na luta dos direitos LGBTT, pois investe num enredo sem cunho pornográfico ou apelativo, retratando homossexuais como pessoas normais, vivendo o seu dia-a-dia."[Intertainer]
Pode-se dizer que 'Queer as Folk' vai além de simplesmente levantar uma bandeira, pois, mais do que isso, serve para nos levar a refletir sobre diversas situações, tanto nas questões do preconceito, quanto as relações familiares e profissionais.  
 
É considerada uma série que aborda de forma franca e sem censura, o cotidiano dos homossexuais, apresentando  grande carga de drama, humor, e sexo. 

Ficou em exibição, entre 2000 e 2005… e pelo que pude perceber, deixou muitos fãs com saudades.
.
.
Para conhecer um pouco sobre os atores que fazem os personagens principais da série, indico que vá até o blog “As 7 cores”, clicando no título da postagem: Quem é quem em Queer as Folk.

Então, fica a dica!
Segue o video com os episódios 1 e 2 da primeira temporada.


Beijinhos...

Câmbio, desligo! 

10 comentários:

  1. Ai deu saudade só de ver essa foto de todo mundo reunido *-*

    ResponderExcluir
  2. Mto boa essa série.. deixou de lado akele estereotipo que todo gay é afeminado... foi uma das poucas series que da orgulho de dizer claramente "É UMA SERIE GAY".. ela mostra o lado da vida que nem todos conhecem... a vida pessoal, o trabalho, os amores e as decepções.. bem resumido seu post... I Love It...


    KissKiss

    http://mostraoseu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii o post!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Humpft! hehe
    Tu não ia falar de outras séries?
    Will & Grace;
    L World;
    Queer Eye For Straight Guy;
    Modern Family ....

    beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo e Lorena, obrigada queridos! :)

    Download, foi o que mais gostei nessa serie... um tema muitas vezes abordado de forma tao esteriotipada foi retratado nessa serie da maneira que deve ser, como algo do dia a dia. bjks :)

    PAtricia, eu resolvi falar sobre essa, apenas... queria detalhar um pouquinho mais, contudo se abordasse muitas outras a postagem ficaria muito grande. Mas, quem sabe não falamos dessas outras em um outro momento, heim!? rs ... bjks :)

    ResponderExcluir
  6. Como a Patrícia, eu também lembrei de The L Word, Queer Eye For Straight Guy não é um seriado, é um reality show, Modern Family ainda não assisti, portanto, não posso opinar, no entanto, Will & Grace puxa mais pro lado comédia e já estou um pouco de saco cheio deste outro lado que considero também homofóbico, fazer comédia como se homossexuais fossem palhações em potencial. Assisti poucos episódios e não me agradaram.
    Como disse em seu Facebook, quando assisti Queer as Folk, ainda era muito criança, mas sempre fui bem precoce e lembro que adorava, concordo que não foi um seriado estereotipado (e aí entro novamente na questão de quem for retrucar a favor de Will & Grace, são estes estereótipos que não me agradam, como nos programas podres de "humor" que há no Brasil), lembro que era algo mais cotidiano mesmo, sem apelações, embora eu quisesse ter visto a versão menos branda britânica.

    ResponderExcluir
  7. O post despertou meu interesse pela série. Espero poder assisti-la nas férias, ou em breve, assim que o tempo deixar, rs. Gostei das citações e das dicas, Joicy.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, gosto demais dessa série. É verdadeira no que mostra, personagens humanos e conflitos reais, isso é que faz a diferença.

    http://avozdocinefilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pela matéria!

    Eis uma ótima série, mas faz tempo que não assisto.

    Bjs.
    http://cinemarodrigo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Uma série que foi além dos estereótipos!
    PArece que os personagens gays acabam sempre sendo rasos... QAF foi além...
    Focando-se nos relacionamentos e humanidade, muito mais do que na sexualidade propriamente dita.

    ;D

    Nascida em Versos

    ResponderExcluir